Chanceler venezuelano denuncia dupla moral da oposição

Venezuela

O chanceler da Venezuela, Jorge Arreaza, denunciou nesta quarta-feira (18) a dupla moral da oposição em seu país ao alegar fraude nas eleições de 15 de outubro.

Durante um balanço do processo eleitoral perante o corpo diplomático acreditado no país, o ministro indicou que os mesmos porta-vozes da oposição nacional, que agora qualificam o processo eleitoral como irregular, haviam reconhecido a transparência e fiabilidade da plataforma do Conselho Nacional Eleitoral (CNE) dias antes das eleições.

“Suas assinaturas, disse, estão em todas as atas de auditorias. Além disso, esses mesmos porta-vozes da oposição durante as últimas duas semanas estavam desesperados chamando a votar, todos reconhecendo a validade e fiabilidade do sistema eleitoral”.

Arreaza explicou que o sistema eleitoral venezuelano está totalmente blindado para garantir a vontade do eleitor, aparte de ser submetido a múltiplas auditorias anteriores, durante e depois de cada eleição, das quais participam os partidos políticos da oposição que comprovam a constância da transparência do sistema a cada inspeção.

Na Venezuela, disse, o Poder Eleitoral não é uma instituição, é um poder público como o Poder Executivo, o Cidadão e o Legislativo.

Não obstante, destacou, vindo de alguns governos do mundo, há um ataque permanente contra o sistema eleitoral dos venezuelanos, contra suas capacidades e fiabilidade. “Este é o mesmo sistema eleitoral que o ex-presidente (estadunidense) Jimmy Carter, quando veio ao país observá-lo, qualificou como o melhor sistema eleitoral do mundo”, argumentou.

Por sua vez, o chefe do Comando de Campanha Zamora 200, Jorge Rodríguez, apresentou aos diplomatas um balanço da jornada eleitoral, que, indicou, é um dos mais seguros do mundo.

A quantidade de ataques que a democracia venezuelana vem recebendo permanentemente por parte de centros midiáticos e impérios, demonstra que eles tomaram a decisão de atacar segundo seus interesses e conveniências, afirmou.

Da Casa Amarela em Caracas, Rodríguez destacou que devido ao ataque permanente ao sistema eleitoral venezuelano, o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) tomou a decisão de fortalecer as votações para mostrar ao mundo a realidade do país.

Enfatizou que na Venezuela, quando alguém ganha uma eleição, mesmo que seja por um voto, ganhou; e se perdeu por um só voto, perdeu. Desde 2004 até o dia de hoje, foram 12 eleições, nas quais se utilizou o mesmo sistema eleitoral confiável.

Reiterou que a coalizão do Grande Pólo Patriótico ganhou 17 estados com ampla vantagem sobre a oposição.

O também prefeito de Caracas alertou à opinião pública ao fato de que a oposição reconheceu a vitória de seus candidatos em cinco estados do país; no entanto, questiona o triunfo da Revolução Bolivariana em mais de 15 estados.

Seus candidatos já foram proclamados pelo CNE. Como se explica que houve fraude em 17 estados, mas não houve onde eles ganharam se utilizando do mesmo sistema eleitoral?’, questionou.

Fonte: Prensa Latina

Compartilhe: