Chega ao fim a entrega das armas das Farc-EP

Colômbia

Tal como anunciaram o governo colombiano e as Farc-EP, a entrega do total dos fuzis da guerrilha terminou nesta terça-feira (20) quando as Nações Unidas receberam os 40% de armamento que faltavam.

Os locais da entrega não foram divulgados, mas a realização deste passo decisivo do processo de paz foi confirmado pelo ministro do Interior, Guillermo Rivera, e por Pastor Alape, membro do Secretariado das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia-Exército do Povo (Farc-EP), em declarações na noite desta segunda-feira (19) à Rádio Caracol.

As partes ratificaram também que no próximo dia 27 deste mês realizar-se-á uma cerimônia oficial simbólica para registrar o recolhimento do armamento pela ONU e o início da incorporação à vida civil dos guerrilheiros.

Segundo informações, o processo de registo e depósito das armas nos contêineres da Missão das Nações Unidas deve durar uns oito dias, após a coleta de todo o armamento insurgente.

Alape e Rivera referiram-se ao mesmo tempo ao tema das provisões que o movimento guerrilheiro tem depositado em caletas, para o qual terá um prazo maior, com o que ficará fechado todo o processo de desarmamento, como se comprometeram as partes no acordo subscrito no Teatro Colon de Bogotá em novembro passado.

Numa cerimônia celebrada nesta segunda-feira na Casa de Nariño, sede do Executivo, o presidente da República, Juan Manuel Santos, disse ao receber o Secretário-Geral Adjunto da ONU para Assuntos Políticos, Jeffrey Feltman, que já se desarmaram cinco mil e 800 membros das FARC-EP.

O mandatário manifestou à delegação do organismo internacional que esse dado é uma muito boa notícia para todos os colombianos.

De acordo com dados fornecidos dias atrás pela missão das Nações Unidas, quando terminar este processo ficarão desarmados mais sete mil guerrilheiros.

A cada combatente que entregou o seu fuzil, a ONU expede-lhe um certificado, ao mesmo tempo em que os integrantes das Farc-EP assinam uma ata de compromisso ante o Escritório do Comissionado da Paz de não voltar a empunhar armas, pois caso contrário perderá os benefícios previstos para a incorporação à sociedade civil.

Em seu encontro com Santos, Feltman declarou que a ONU está muito otimista nesta última etapa do desarmamento, pois tudo está saindo de acordo com o planejado.

Estes acontecimentos em torno da deposição do armamento guerrilheiro estiveram precedidos por quase quatro anos de diálogos das Farc-EP e o governo, na capital cubana, onde se conseguiu o acordo de paz geral que pôs fim a mais 50 anos de conflito armado.

Fonte: Prensa Latina

Compartilhe: