China rejeita mediação dos EUA sobre o Mar do Sul, proposta por Trump, e avança no diálogo com o Vietnã

Geopolítica

Foto: Xinhua-Yao Dawei

A China pediu nesta terça-feira (14) que os Estados Unidos respeitem os esforços e ações dos países asiáticos para manter a paz e a estabilidade do Mar do Sul, em resposta a recentes declarações do presidente Donald Trump sobre o tema. 

Geng Shuang, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, disse em coletiva de imprensa que seu governo opta pela via pacífica para solucionar as disputas e defender seus interesses. 

“A China salvaguarda firmemente sua soberania e interesses marítimos no Mar do Sul da China e se apega a resolver as disputas com as partes envolvidas diretamente através de negociações”, esclareceu. 

A situação nesse espaço – afirmou – se estabilizou graças aos esforços conjuntos entre as autoridades de Pequim e os países membros da Associação de Nações do Sudeste Asiático. 

“Esperamos que os países de fora possam respeitar os esforços da região por manter a paz e a estabilidade do Mar do Sul da China e desempenhar um papel construtivo a esse respeito’, disse Geng. 

O porta-voz respondeu assim às declarações de Trump no último domingo (12) sobre mediar o conflito marítimo entre a China e o Vietnã. 

China e Vietnã já concordam em aprofundar parceria sob novas circunstâncias 

A China e o Vietnã concordaram domingo (12), em Hanói, em aprofundar sua cooperação estratégica abrangente sob novas circunstâncias. 

Durante suas conversas, o presidente chinês Xi Jinping, também secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista da China, e Nguyen Phu Trong, secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista do Vietnã, elogiaram os avanços do desenvolvimento dos dois países e concordaram em continuar, preservar e promover a amizade tradicional entre a China e o Vietnã. 

Xi está em uma visita de Estado ao país do Sudeste Asiático. Antes, ele acabou de encerrar uma estada de dois dias na cidade de Da Nang, no centro do Vietnã, onde participou da 25ª Reunião dos Líderes Econômicos da Cooperação Econômica da Ásia Pacífico (APEC). 

Os dois líderes também concordaram em buscar uma política amistosa um para o outro e impulsionar continuamente a parceria cooperativa estratégica abrangente China-Vietnã, com o fim de trazer mais benefícios para os dois povos. 

A China e o Vietnã são vizinhos próximos conectados por montanhas e rios, bons amigos que compartilham felicidade e aflição, bons camaradas com ideais e convicções semelhantes, e bons parceiros para cooperação de ganhos recíprocos, disse Xi. 

Atualmente, tanto a China como o Vietnã estão em um período crucial de reforma e desenvolvimento e eles também estão enfrentando oportunidades históricas para avançar tanto o desenvolvimento doméstico como as relações bilaterais, disse o líder chinês. 

Xi pediu aos dois lados que atribuam importância para os interesses gerais dos dois partidos e dos dois países, prossigam a partir dos interesses fundamentais dos dois povos, e continuem com a boa tradição de resistir juntos a tempos difíceis, para abrir um novo capítulo nas relações China-Vietnã. 

Ele expressou a esperança de que as duas nações possam trabalhar de mãos dadas para alcançar a prosperidade comum e buscar o desenvolvimento comum no caminho para frente. 

Os presidentes desses dois países asiáticos anunciaram depois um consenso para buscar uma saída adequada ao tema. 

Em declaração conjunta os dois países afirmaram, entre outros temas abordados: 

“Sobre a cooperação marítima, a China e o Vietnã concordaram em implementar completa e eficazmente a Declaração sobre a Conduta das Partes no Mar do Sul da China (DOC, em inglês) e se esforçar para a conclusão rápida de um Código de Conduta (COC, em inglês) com base nos consensos alcançados através de consultas. 

Os dois lados concordaram em administrar e controlar as diferenças relativas aos assuntos marítimos e evitar de tomar ações que tornem a situação complicada e as disputas ampliadas, a fim de manter a paz e a estabilidade no Mar do Sul da China. 

Os dois lados concordaram em obedecer aos importantes consensos atingidos pelos máximos líderes dos dois partidos e dois países sobre assuntos marítimos, assim como um pacto sobre os princípios básicos relativos à orientação da solução das disputas marítimas entre a China e o Vietnã, aproveitar melhor o mecanismo de negociação fronteiriça entre os dois governos e buscar uma solução fundamental e de longo prazo aceita pelas duas nações. 

A China e o Vietnã concordaram em conduzir trabalhos subsequentes da inspeção conjunta nas águas fora do Golfo de Beibu, uma área potencialmente rica em recursos. 

Os dois lados também decidiram avançar a negociação sobre a demarcação das águas fora da boca do Golfo de Beibu e impulsionar ativamente o desenvolvimento conjunto da área. 

O golfo é uma baía meia fechada rodeada por territórios chinês e vietnamita e uma área de pesca tradicional para os dois países. 

Os dois países também prometeram impulsionar o trabalho do grupo de trabalho para a consulta sobre o desenvolvimento conjunto marítimo e implementar eficazmente os projetos de cooperação concordados em áreas menos sensíveis, segundo a declaração”. 

Resistência, com Prensa Latina e Xinhua 

 

Compartilhe: