Comunistas chineses em congresso: “Socialismo com características próprias entra em nova era”

19º Congresso do PCCh

O 19º Congresso Nacional do Partido Comunista da China (PCC) foi aberto nesta quarta-feira (18), no Grande Palácio do Povo, no centro de Pequim. Para o líder máximo do Partido, Xi Jinping, o socialismo com características chinesas entra em uma “nova era”.

Xi 19º Congresso

Xi Jinping apresentou o relatório intitulado “Assegurar uma vitória decisiva na construção de uma sociedade moderadamente próspera em todos os aspectos e se empenhar para o grande sucesso do socialismo com características chinesas para uma nova era”.

O tema do congresso é “Permanecer leal a nossa aspiração original e manter com firmeza a nossa missão, segurar no alto a bandeira do socialismo com características chinesas, assegurar uma vitória decisiva na construção de uma sociedade moderadamente próspera em todos os aspectos,  empenhar-se para o grande sucesso do socialismo com características chinesas para uma nova era e trabalhar incansavelmente para realizar o sonho Chinês de revitalização nacional”.

“A aspiração original e a missão dos comunistas chineses é buscar a felicidade do povo chinês e a revitalização da nação chinesa”, disse Xi.

Xi Jinping disse que o Partido Comunista da China (PCCh) transformará a China em um “poderoso país socialista modernizado” até meados do século 21.

Esta é a segunda fase de um plano de desenvolvimento de duas fases que o PCCh definiu para o período de 2020 até meados do século 21.

Xi chamou o plano de “arranjo estratégico do PCCh para o desenvolvimento socialista com características chinesas na nova era”.

Na primeira fase de 2020 até 2035, o país realizará basicamente a modernização socialista mediante a luta nesses 15 anos, com base na conclusão da construção integral de uma sociedade moderadamente próspera, segundo o plano.

Na segunda fase, de 2035 até meados do século 21, o PCCh irá, com base na concretização fundamental da modernização, trabalhar duro por outros 15 anos e transformar a China em um poderoso país socialista modernizado, que seja próspero, democrático, civilizado, harmonioso e belo, segundo o plano.

Até meados do século 21, as seguintes metas serão alcançadas:

– O país elevará integralmente o seu nível de civilização material, política, espiritual, social e ecológica

– O país concretizará a modernização do sistema e da capacidade de governança

– A China se tornará um país avançado em todos os aspectos e de influência internacional

– Todo o povo desfrutará de uma prosperidade básica comum e de uma vida mais feliz, segura e saudável.

Luta contra a corrupção

O Partido Comunista da China (PCC) vai assegurar uma “vitória esmagadora” na luta contra a corrupção para evitar o ciclo histórico de ascensão e queda, disse Xi Jinping

Classificando a corrupção como “a maior ameaça” que o Partido enfrenta, Xi disse que a luta contra ela nunca acabará e que permanece grave e complexa. “Devemos manter-nos firmes como uma rocha na nossa determinação de consolidar o ímpeto avassalador e conquistar uma vitória esmagadora”, disse.

Xi reafirmou a tolerância zero do Partido em relação à corrupção, dizendo que tanto aqueles que aceitam subornos como os corruptores serão punidos, e que os grupos de interesse serão barrados dentro do Partido.

Para onde quer que os corruptos fujam, nós os perseguiremos, capturaremos e os levaremos à justiça, disse Xi.

Plenária 19º Congresso

A China e o mundo

A nação chinesa se tornará um membro ativo e orgulhoso da comunidade das nações, disse Xi.

Xi Jinping disse que a China jamais buscará a hegemonia ou a expansão “não importa qual estágio de desenvolvimento o país atinja”.

A China jamais buscará o desenvolvimento às custas dos interesses dos outros. O desenvolvimento do país não representa ameaça para qualquer outra nação, disse ele.

Xi afirmou que a China possui uma política de defesa nacional defensiva e permanece firme em perseguir uma política externa independente e de paz. Entretanto, a China jamais abrirá mão dos seus direitos e interesses legítimos.

“Ninguém deve esperar que a China tolere qualquer coisa que prejudique seus interesses”, disse ele.

Xi disse que o país desenvolveu ativamente parcerias mundiais e expandiu a convergência dos interesses com os outros países.

“Esforçamo-nos para defender a igualdade e a justiça internacionais e nos opomos aos atos de imposição contra a vontade dos outros ou que interfiram nos assuntos internos dos outros países. Também nos opomos à prática de o forte ameaçar o fraco”, notou ele.

Resistência, com informações do Diário do Povo e da Xinhua

 

Compartilhe: