Coreia Popular: “Ninguém nos dará a paz de presente”

Coreia Popular

Três organizações do movimento social da Coreia Popular divulgaram, nesta segunda-feira (4) uma mensagem sobre a escalada das tensões na Península Coreana. Leia abaixo. 

Queridos amigos,

Uma grave situação prevalece na Península Coreana, devido às sanções contra a República Popular Democrática da Coreia (RPDC) e à chantagem da ameaça de guerra dos EUA e seus aliados.

Em agosto as sanções ilegais e injustas e a ameça de guerra nuclear dos EUA contra a RPDC atingiram pontos extremos.

Questionam o lançamento coreano do teste do ICBM* como “uma ameaça à paz internacional”. Os EUA prepararam a resolução “Sancionas” Nr. 2371, do Conselho de Segurança das Nações Unidas, contra a RPDC, no dia 6 de agosto, com o intuito de bloquear completamente o desenvolvimento econômico e a melhoria do padrão de vida do povo coreano.

O pessoal dos círculos políticos e as autoridades militares, com a retórica estadunidense, falam a respeito da opção militar dirigida pela RPDC. Mesmo Trump, que tem o comando total das forças armadas, declarou que, mesmo que ocorra uma guerra, seria travada na Península Coreana e se milhares morressem, seria apenas na península, e não em solo dos Estados Unidos.

Para não perder tempo, a 82ª divisão de transporte aéreo, a 25ª divisão de infantaria leve e a divisão de guerra de montanhas dos EUA estão sob exercícios militares em grande escala, antecipando seu envolvimento no front coreano.

Os mariners do SEAL (1) e de outras unidades especiais de guerra, especializadas em operações terroristas, foram enviadas com urgência para a Coreia do Sul, antecipando o plano, que se encontrava em andamento, de trazer ativos estratégicos.

Os lançadores estratégicos de bombas nucleares, desde Guam, frequentemente sobrevoam o espaço aéreo sul-coreano, para abertamente iniciar exercícios de guerra reais e manobras, visando a atingir as bases estratégicas da RPDC.

Sob a grave situação atual, a Força Estratégica do Exército Popular da Coreia (KPA) enviou um sinal de alerta aos EUA, para impedir sua provocação militar imprudente contra a RPDC, que poderia causar conflitos e, que se os EUA não ouvirem nossas advertências, isso nos levaria a tomar ações práticas.

Apesar das denúncias unânimes domésticas e internacionais, os Estados Unidos organizaram os exercícios militares conjuntos com a República da Coreia, ação denominada Ulji – Guardião da Liberdade.

Aproveitando a estratégia dos EUA de dominação mundial, os reacionários japoneses também inseriram-se nos sérios ataques à paz na Península Coreana e no mundo, decidindo introduzir o míssil do sistema de defesa dos EUA e aumentar seu orçamento militar ao máximo, no próximo ano fiscal.

Além disso, os japoneses conduziram as manobras em 29 de agosto passado, tendo como alvo a RPDC, com a implantação de mísseis “PAC-3” nas bases militares dos EUA no Japão.

Os atos dos EUA e dos países vizinhos, em concertação com a política hostil dos EUA contra a RPDC, têm prejudicado a paz e a segurança regionais.

Estes países receberam “agradecimentos” dos EUA ao aceitarem as “Resoluções de Sanções” anti-RPDC.

Com as sanções e a pressão dos EUA e aliados, a RPDC está tomando medidas para fortalecer sua capacidade de defesa e autossuficiência.

Em 29 de agosto, a Força Estratégica do KPA realizou o exercício estratégico de lançamento de foguete balístico intermediário e de longo alcance.

A força nuclear do nosso país representa a justiça e as medidas adequadas para defender a nossa soberania e o direito à existência e ao desenvolvimento contra as práticas de manipulação e arbitrariedade dos EUA, que estão recorrendo à ameaça nuclear, à chantagem e à política extremamente hostil contra a RPDC, por mais de meio século.

Esta situação internacional complicada nos mostra que ninguém nos trará a paz de presente. Isso prova que a natureza agressiva e predatória dos imperialistas não pode ser mudada e que a única maneira de defender a verdadeira paz é lutar contra os inimigos da paz e, ao mesmo tempo, fortalecer continuamente a capacidade de defesa nacional.

Com nossos melhores cumprimentos,
 
Associação Coreana dos Advogados Democratas
 
Comitê Coreano de Solidariedade aos Povos do Mundos
 
Comitê Nacional Coreano da Paz

Tradução de Maria Helena de Eugenio para o Resistência

1 – SEAL– Forças de Mar (sea), Ar (air) e Terra (land) dos EUA. (N.T.)

* Sigla em inglês para Míssil Balístico Inter Continental (N.R.)

Compartilhe: