Cuba fomenta unidade revolucionária diante da ofensiva neoliberal

Internacionalismo

Cuba orienta suas ações no sentido de fomentar a maior unidade possível dos revolucionários latino-americanos e caribenhos face à nova ofensiva neoliberal liderada pelos Estados Unidos e os seus aliados, declarou, nesta terça-feira (23) em Hanói (Vietnã) um alto dirigente cubano.

O chefe do Departamento de Relações Internacionais do Partido Comunista de Cuba, José Ramón Balaguer, discursou na sessão inaugural de um seminário teórico com autoridades do Partido Comunista do Vietnã (PCV), quando falou sobre a situação na América Latina.

Balaguer afirmou que o objetivo principal dos Estados Unidos é derrocar os governos de esquerda e progressistas, para o que tem aperfeiçoado os métodos de subversão e aproveitado erros das forças políticas no governo.

Balaguer denunciou que o plano do imperialismo tenta também romper os processos de integração atingidos nos últimos 15 anos, desde a União de Nações Sul-americanas (Unasul) até a Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac).

O chefe da delegação cubana à reunião ressaltou que reações nesse sentido observaram-se na Argentina e no Brasil, enquanto na Venezuela, Equador, El Salvador e Bolívia lutam para garantir a continuidade dos processos de mudança.

Disse também, que nesse contexto, “a nossa tarefa, nada fácil, é atingir a unidade dentro da diversidade que carateriza os sistemas políticos latino-americanos e caribenhos”.

Finalmente, referiu-se à política do bloqueio imposto pelos Estados Unidos a Cuba há mais 50 anos, o que ele considera ser o principal obstáculo a eliminar para permitir ao seu país desenvolver-se economicamente.

O dirigente cubano demandou a devolução do território da base naval de Guantánamo (ocupada pelos EUA) e a suspensão dos programas que tentam subverter o sistema político cubano.

Fonte: Prensa Latina

Compartilhe: