Eleições em Honduras: Cuba denuncia “silêncio cúmplice” da OEA

Geopolítica

Foto: Cubaminrex

Neste domingo (3), o vice-chanceler de Cuba, Rogelio Sierra Díaz, divulgou uma nota expressando a preocupação do governo cubano com a situação de Honduras. No texto, Cuba aponta para o silêncio da Organização dos Estados Americanos (OEA), sempre tão ativa quando se trata de apontar supostas “violações aos direitos humanos” em países que não são alinhados com os Estados Unidos da América, mas que se cala quando existem claros indícios de reais atentados contra a democracia e a soberania popular. Leia abaixo.

Declaração do vice-ministro das Relações Exteriores Rogelio Sierra Díaz

Acompanhamos com preocupação a situação que foi criada em Honduras após as eleições de 26 de novembro. Rejeitamos a repressão contra os protestos populares, lamentamos a perda de vidas humanas e pedimos para que se respeite a vontade do povo.

Chama a atenção o silêncio cúmplice da OEA e do seu Secretário-Geral sobre esta situação. Rechaçamos a ingerência nos assuntos internos e exigimos o direito à paz e ao desenvolvimento de nossos povos, como expresso nos postulados da Proclamação da América Latina e do Caribe como Zona de Paz.

Rogelio Sierra Díaz

Vice-Ministro das Relações Exteriores

3 de dezembro de 2017

Fonte: Granma, tradução da redação do Resistência

Compartilhe: