Evo Morales: “Os Estados Unidos da América não cessam de conspirar contra a Bolívia”

Imperialismo

Os Estados Unidos não deixam de conspirar contra a Bolívia, denunciou nesta sexta-feira (29) o presidente Evo Morales, depois das revelações de encontros de funcionários da embaixada norte-americana com opositores do Governo.

“Apesar da expulsão do embaixador em 2008, o governo dos EUA não cessa em seu afã de conspirar contra nossa Revolução Democrática e Cultural”, escreveu Evo em sua conta no twitter @evoespueblo.

Na véspera, o ministro do Governo, Carlos Romero, disse que o encarregado de negócios dos Estados Unidos na Bolívia, Peter Brennan, admitiu suas reuniões com a oposição e tentou justifica-las.

O ministro advertiu que as reuniões dos diplomatas estadunidenses com a oposição enfraquecem as relações bilaterais e constituem uma intromissão nos assuntos internos da Bolívia.

Assim disse Romero a Brennan em um encontro que mantiveram, onde abordaram diversos temas, entre eles os vínculos dos funcionários norte-americanos com setores da direita e a luta contra o narcotráfico.

Faz poucos meses que se tomou conhecimento que Brennan manteve encontros em Santa Cruz com o jornalista Carlos Valverde, dois meses antes de que este lançasse uma série de acusações falsas contra o chefe de Estado, nas vésperas do referendo sobre a possibilidade de recondução presidencial.

Brennan é o mais importante representante dos Estados Unidos na Bolívia, devido a que ambos os países têm relação a nível de negócios de 2008, quando La Paz expulsou o embaixador Philip Goldberg por ingerência nos assuntos internos.

Fonte: Prensa Latina

Tradução da Redação do Resistência

Esta entrada está disponible en español.
Compartilhe: