Frente Ampla do Uruguai denuncia ingerência dos EUA no continente

América Latina

Os integrantes da Frente Ampla se preparam para as eleições de 2019 no Uruguai / Foto: Matilde Campodonico

A coalizão de partidos progressistas e de esquerda o Uruguai, Frente Ampla, encerrou seu congresso nacional neste sábado (6) com denúncias contundentes contra a ingerência norte-americana em países da América Latina. Em documento oficial, alertou principalmente para a situação grave pela qual passa a Venezuela.

A Frente Ampla condenou os planos dos Estados Unidos que buscam romper com a unidade dos povos e dos governos e isolar a Venezuela na América Latina, tal qual já aconteceu com Cuba em décadas passadas.

Depois de vários dias de debates e reflexões, os progressistas uruguaios aprovaram um documento cujo destaque é para as intenções dos EUA de “satanizar” a Venezuela e a isolar dos demais países da região.

Além de questões específicas dos países latino-americanos, o seminário abordou outros quatro eixos temáticos: o contexto político global, desenvolvimento sustentável, Estado, Mercado e Sociedade e poder e governo.

No eixo sobre “contexto político global” os participantes destacaram as intervenções militares dos Estados Unidos em diversas partes do mundo e fizeram um balanço da “destruição material, mortes de civis e imposição de governos”.

Para os “frenteamplistas”, como são chamados os integrantes da Frente Ampla, a melhoria da qualidade de vida passa por uma “verdadeira batalha cultural contra o consumismo desenfreado”.

Afirmam ainda que no mundo globalizado, tomado por conflitos, o Uruguai “insiste na integração não só comercial dos países da América Latina, mas da complementação produtiva, social e de gênero, etnia, diversidade e reconhecimento da história comum”.

Fonte: Portal Vermelho, com Telesur

Compartilhe: