Furacão Irma, um perigo real para Cuba

Cuba

Ilustração: INSMET

O extremamente perigoso furacão Irma adquiriu nesta terça-feira, 5 de setembro, a máxima categoria 5, da escala Saffir-Simpson na bacia do Atlântico tropical, desde a temporada ciclônica de 2007, o primeiro desses fenômenos com essa intensidade e uma velocidade constante do vento que atinge os 295 quilômetros por hora.

Segundo informou a doutora Miriam Teresita Llanes, chefa do Centro de Prognósticos do Instituto de Meteorologia, além de continuar se fortalecendo durante as últimas 24 horas, seu campo ou raio de influência dos ventos com força de furacão ou de tempestade tropical devem sentir-se até os 280 quilômetros a partir do centro.

Este furacão já está perto das ilhas do grupo norte das Antilhas Menores, as que começará a afetar nesta noite da quarta-feira, 6. Devido à sua posição, intensidade, área de influência e possível trajetória constitui um perigo potencial para Cuba, sobretudo a partir da sexta-feira, 8, quando seus efeitos devem começar a ser sentidos no extremo oriental do país.

Segundo alguns prognósticos, caso continue o percurso deve chegar ao território nacional cubano na noite da sexta-feira, 8, pelo norte da província de Ciego de Ávila. Posteriormente, deve avançar mais para o Norte, rumo à península da Flórida, afetando na sua passagem algumas províncias cubanas, desde Camaguey até a região ocidental.

Durante a primeira reunião do Órgão de Trabalho da Defesa Civil, do Conselho de Defesa Nacional para a Redução de Desastres, funcionários da entidade afirmaram que a trajetória do furacão deve ser observada nos próximos dias, a fim de adotar as medidas necessárias.

Segundo o general-de-divisão Ramón Pardo Guerra, chefe do Estado Maior Nacional da Defesa Civil (EMNDC), trata-se de um fenômeno muito mais poderoso que o furacão Ivan, que afetou a Ilha no ano 2004 e mais de dois milhões de pessoas tiveram que ser evacuadas.

Por isso, “a população deve se manter atenta às informações do Instituto de Meteorologia e a Defesa Civil, e cumprir com disciplina as medidas que se indiquem pelas autoridades locais”, indicou o chefe do EMNDC.

As autoridades encarregadas da proteção dos cidadãos e dos recursos econômicos do país já estão mobilizadas em função de prevenir os danos e perdas de vidas humanas, acrescentou.

Fonte: Granma

Compartilhe: