Maduro acusa oposição de desrespeitar Constituição venezuelana e cria comando antigolpe

Luta contra o golpe

O presidente Nicolás Maduro acusou nesta terça-feira (10) a maioria opositora da Assembleia Nacional (AL) de desrespeitar a Constituição, estimular a desestabilização e tentar um golpe parlamentar.

“A Mesa da Unidade Democrática viola as Leis, vulnera os direitos dos venezuelanos e está empenhada em destruir a Revolução Bolivariana, em inundar de sangue a nossa pátria”, declarou o chefe de Estado na sala presidencial do aeroporto de Maiquetía Simón Bolívar.

Durante a cerimônia de posse do Comando Nacional Antigolpe, o presidente assegurou que , apoiado na união cívico-militar e no respaldo popular, o governo “não permitirá à direita frear o desenvolvimento da nação com uma agenda de violência e guerra econômica, apoiada e financiada pelos Estados Unidos”.

A oposição busca um desenlace violento no país e devemos agir com cautela e inteligência, ainda estamos sob o perigo de sofrer os últimos ataques do presidente em fim de mandato, Barack Obama, que está obcecado com a Venezuela, comentou.

Maduro empossou nesta terça-feira os integrantes do Comando, grupo criado para preservar a paz e a estabilidade do país frente aos atos violentos e aos propósitos dos setores mais conservadores da direita.

Somos obrigados, disse, a defender os direitos de nossas famílias e garantir os direitos do nosso povo. Por isso estamos empossando o Comando Nacional Antigolpe.

“Somente em paz, convivência e união, a Venezuela poderá transitar por seu próprio caminho para o desenvolvimento econômico, cultural, educacional, político e social. Há apenas um caminho para o bem-estar e a prosperidade, é a paz”, disse ele.

“Uma gangue sequestrou a Assembleia Nacional e tenta um golpe de Estado, mas nenhum de seus atos de desacato ou violações da leis ficarão impunes”, assegurou.

Após a cerimônia, Maduro partiu para a Nicarágua para participar da posse do presidente desse país, Daniel Ortega, programada para esta terça-feira.

Resistência, com Prensa Latina; tradução de Luci Nascimento

Compartilhe: