Maduro: Celac é a máxima expressão da integração latino-americana e caribenha

América Latina

Há seis anos, o líder da Revolução Bolivariana, Hugo Chávez, fundou a Comunidade de Estados Latino-americanos e do Caribe (Celac), em Caracas, em defesa da democracia, da institucionalidade e integração dos povos.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, em um escrito publicado no sábado (2) no Facebook enalteceu a Celac como máxima expressão da unidade dos países da região.

“A Declaração de Caracas foi o resultado do consenso dos líderes da América Latina e Caribe, por cima da diversidade ideológica e política, já que foi comprendida a necessidade de atuar como um só bloco regional, para ter voz de peso no cenário internacional”, disse o chefe de Estado venezuelano.

Maduro valorizou esta iniciativa do comandante Chávez, que foi o anfitrião do lançamento do bloco, realizado no Teatro Teresa Carreño, em Caracas.

Na Primeira Cúpula da Celac que se realizou nos dias 2 e 3 de dezembro de 2011 em Caracas foram aprovados 22 documentos, entre os quais se destacam: a Declaração de Caracas, um Plano de Ação, o Estatuto de Procedimentos para o funcionamento da comunidade e comunicados sobre diversos temas que se incorporam à agenda do grupo.

“Nosso comandante Hugo Chávez como anfitrião deste evento histórico ressaltou como a Celac é a máxima expressão do sonho de uma Pátria Grande que Miranda [Francisco] trouxe [na corveta] El Leander, pelo qual Bolívar percorreu as terras de todo o continente e pelo qual os povos lutaram durante tantos anos”, ressaltou o presidente.

A Celac é um mecanismo cuja missão principal é impulsionar a integração regional e promover o desenvolvimento sustentável, em um contexto de solidariedade, cooperação, complementaridade e concertação política, segundo ressaltaram vários líderes do bloco.

Este organismo agrupa 33 países: Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Paraguai, Uruguai, Peru, Colômbia, Equador, Venezuela, Antígua y Barbuda, Bahamas, Barbados, Belize, Costa Rica, Cuba, República Dominicana, El Salvador, Granada, Guatemala, Guiana, Haiti, Honduras, Jamaica, México, Nicarágua, Panamá, Santa Luzia, San Vicente y Granadinas, Suriname, Trinidad y Tobago, Dominica e Federação de San Cristóbal y Nieves.

Resistência, com Agência Venezuelana de Notícias

Compartilhe: