Maduro pede que procuradora geral faça justiça ante ações violentas de terroristas

Constituinte na Venezuela

O presidente da República Bolivariana da Venezuela, Nicolás Maduro, fez um chamamento à procuradora geral Luisa Ortega Díaz para que atenda os casos de ações violentas de terroristas que deixaram lamentáveis vítimas depois das manifestações convocadas por dirigentes da oposição.

“Faço um chamado à senhora Luisa Ortega Díaz a que cumpra seu trabalho e faça justiça frente aos atos violentos”, disse Maduro no ginásio esportivo  Poliedro de Caracas durante o lançamento do Movimento Somos Venezuela.

O mandatário assinalou que aqueles que estão em desacordo com a Constituinte, convocada de acordo com os artigos 347, 348 e 349 da Constituição, “podem expresar livremente sua opinião pelos meios de comunicação, mas têm de fazê-lo de maneira pacífica” ou podem ir ao Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) para “interpor os recursos que considerem pertinentes”.

Nesse sentido, destacou que recentemente Luisa Ortega Díaz foi ao TSJ interpor um recurso contra a Constituinte. Maduro comemorou que a procuradora “tenha ido reconhecer a legitimidade absoluta” do máximo órgão de justiça e ademais “que se tenha convertido na líder de opinião dos setores que se opõem à Assembleia Nacional Constituinte”.

Igualmente, Maduro comemorou que a autodenominada Mesa da Unidade e todos os partidos que a integram “estejam seguindo a  senhora Luisa Ortega Díaz nos recursos perante o tribunal supremo” e que “me parece o melhor, positivo” que este agrupamento político “tenha reconhecido a legitimidade do Tribunal Supremo de Justiça”.

O presidente expresou sua satisfação com que “o  Estado de direito e de justiça funcione. O único mal é que o Ministério Público se tenha debilitado cada vez mais”.

Resistência, com Correo del Orinoco

Compartilhe: