Mensagem do PCdoB ao 19º Congresso do PCCh: “Que a China continue percorrendo com êxito este caminho altivo e soberano”

Movimento Comunista

O 19º Congresso do Partido Comunista da China (PCCh) começa nesta quarta-feira (18). O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) enviou ao PCCh, partido com o qual mantém tradicionais relações de amizade, uma saudação, que foi entregue em Pequim, na sede do Departamento de Relações Internacionais, no dia 21 de setembro, pelo Secretário de Política e Relações Internacionais do Partido, José Reinaldo Carvalho, a Li Jun, vice-ministro do PCCh e vice-chefe do Departamento Internacional. Na mensagem, assinada pelo Comitê Central do PCdoB, os comunistas brasileiros consideram que “Vivemos uma quadra histórica marcada pelas ameaças à paz mundial, pela tentativa de impor a ferro e fogo uma hegemonia planetária que viola a soberania das nações e tenta negar aos povos o direito de construir sua própria história e seguir o caminho que julgar mais adequado, de acordo com sua cultura e suas tradições. A China, tendo a frente o PCCh, é uma nação que segue seu próprio caminho e, neste sentido, serve de exemplo ao mundo. Constrói o socialismo ‘com características chinesas’ e a mensagem que passa à humanidade é de equidade nas relações internacionais, baseada no respeito mútuo, na não interferência nos assuntos internos, na solução pacífica das controvérsias e na construção de parcerias mutuamente vantajosas. O PCdoB, partido irmanado com o PCCh pelo elevado ideal do comunismo, considera de importância fundamental para os trabalhadores, para a paz mundial e o progresso da humanidade, que a China continue percorrendo com êxito este caminho justo, altivo e soberano.” Leia, abaixo, a íntegra da mensagem:

Saudação ao 19º Congresso Nacional do Partido Comunista da China

Do Partido Comunista do Brasil (PCdoB)

Ao Camarada Xi Jinping, Presidente da República Popular da China, Secretário-Geral do Partido Comunista da China (PCCh)

Ao Comitê Central do Partido Comunista da China (PCCh)

Mensagem de saudação do PCdoB sendo entregue em Pequim por José Reinaldo Carvalho a Li Jun, vice-ministro do PCCh e vice-chefe do Departamento Internacional

Mensagem de saudação do PCdoB sendo entregue em Pequim por José Reinaldo a Li Jun, vice-ministro do PCCh e vice-chefe do Departamento Internacional

Queridos camaradas, a realização do 19º Congresso do Partido Comunista da China (PCCh) é um acontecimento de transcendental importância, não só para os comunistas e o povo chinês, mas também para os homens e mulheres de toda a humanidade.

O Partido Comunista da China (PCCh) tem sobre seus ombros a honrosa, mas duríssima, tarefa de ser o líder e condutor de 1,3 bilhão de pessoas, e a trajetória dos comunistas chineses, na condução desta missão, tem sido gloriosa.

De uma sociedade que no início do século XX era atrasada, semifeudal, semicolonial, dividida e humilhada por bandidos, aventureiros e imperialistas de todo o tipo, o Partido Comunista da China, liderado por Mao Tsetung, surge para resgatar a dignidade nacional e salvaguardar os direitos do povo.

Como disse o presidente Xi Jinping, em discurso por ocasião dos 95 anos de fundação do PCCh: “O surgimento de um partido comunista em nosso país foi um acontecimento histórico, que mudou profundamente o curso da história chinesa nos tempos modernos, o destino e o futuro do povo e da nação chinesa, e a direção e o padrão do desenvolvimento mundial”.

O PCCh liderou a luta pela independência, desbravou o caminho para a construção do socialismo, com criatividade e coragem, tendo como guia o marxismo, deslindando os intricados problemas econômicos de um país gigantesco e complexo.

Com a Nova China começou a grande saga para concretizar o que o presidente Xi Jinping chama de “O sonho chinês”. Sonho que ganhou novo e poderoso impulso com a política de “reforma e abertura”, promovida por Deng Xiaoping.

Já se passaram quase 40 anos desde que foi tomada a decisão histórica, na 3ª sessão plenária do Comitê Central do PCCh, de direcionar o centro do trabalho do Partido e do Estado chinês para a construção econômica, impulsionando o desenvolvimento das forças produtivas, a serviço de um projeto de nação que conduziu a China a um grau de desenvolvimento esplêndido e coloca o país como um ator de primeira ordem no cenário internacional, sem nunca perder de vista que o desenvolvimento e o socialismo estão interligados. Como disse Deng Xiaoping em 1992: “Se nós desistirmos do socialismo, não aplicarmos a política de reforma e abertura, não desenvolvermos a economia, nem melhorarmos a vida do povo, estaremos num beco sem saída.”

Em 2013, em seu discurso de posse como presidente eleito da República popular da China, Xi Jinping traçou um valioso balanço desta trajetória:

“Para realizar o sonho chinês temos que seguir o caminho chinês, ou seja, o caminho do socialismo com características chinesas. Esse caminho não foi encontrado com facilidade, mas conquistado durante a reforma e abertura em mais de três décadas; em uma incessante busca ao longo de mais de 60 anos, desde a fundação da República Popular da China; através de uma profunda síntese da trajetória da evolução da nação chinesa ao longo de mais de 170 anos, desde o início da época moderna; e com a continuidade da nossa civilização de mais de 5.000 anos.

Portanto, esse caminho possui um enraizamento histórico profundo e uma ampla base na realidade. Como nação dotada de uma criatividade extraordinária, criamos a grande civilização chinesa e somos também capazes de continuar explorando e seguindo o caminho do desenvolvimento que corresponde à realidade chinesa”.

Camaradas,

Vivemos uma quadra histórica marcada pelas ameaças à paz mundial, pela tentativa de impor a ferro e fogo uma hegemonia planetária que viola a soberania das nações e tenta negar aos povos o direito de construir sua própria história e seguir o caminho que julgar mais adequado, de acordo com sua cultura e suas tradições.

A China, tendo a frente o PCCh, é uma nação que segue seu próprio caminho e, neste sentido, serve de exemplo ao mundo. Constrói o socialismo “com características chinesas” e a mensagem que passa à humanidade é de equidade nas relações internacionais, baseada no respeito mútuo, na não interferência nos assuntos internos, na solução pacífica das controvérsias e na construção de parcerias mutuamente vantajosas.

O PCdoB, partido irmanado com o PCCh pelo elevado ideal do comunismo, considera de importância fundamental para os trabalhadores, para a paz mundial e o progresso da humanidade, que a China continue percorrendo com êxito este caminho justo, altivo e soberano.

Temos plena confiança de que o 19º Congresso, tendo Xi Jinping como núcleo do Comitê Central, seguirá erguendo a bandeira do socialismo com características chinesas, guiado pelo marxismo-leninismo, pelo pensamento de Mao Tsetung, pela Teoria de Deng Xiaoping, pelo importante pensamento das “Três Representatividades” e pelo Conceito Científico de desenvolvimento socialista.

Desejamos todo o sucesso ao 19º Congresso, que impulsionará o partido e o país no rumo de cumprir a meta dos “dois centenários”: construir uma sociedade moderadamente próspera até 2021 e em 2049 estabelecer a China como um país socialista moderno, próspero, forte, democrático, culturalmente avançado e harmonioso.

Como declarou Xi Jinping: “A história e a realidade nos dizem que só o socialismo pode salvar a China e que só o socialismo com características chinesas pode desenvolver o nosso país. Esta é uma conclusão tirada a partir da nossa história e uma escolha o povo”.

Fonte de inspiração e alento para a luta que as novas gerações de revolucionários travam em defesa da democracia, da paz mundial e do socialismo, os comunistas brasileiros saudamos todos os militantes e dirigentes do PCCh, recordando o nome de alguns dos heróis e dirigentes desta saga imortal: Mao Tsetung, Zhou Enlai, Liu Shaoqi, Deng Xiaoping e Chen Yun.

Viva o 19º Congresso!

Viva o Partido Comunista da China!

O Comitê Central do Partido Comunista do Brasil

Compartilhe: