O povo dos Estados Unidos não é nosso inimigo, afirma Venezuela na Assembleia Geral da ONU

ONU

O chanceler da Venezuela, Jorge Arreaza, afirmou nesta segunda-feira (25) na ONU que seu país não considera o povo dos Estados Unidos um inimigo e está disposto ao diálogo com o governo norte-americano, apesar de seu comportamento hostil.

Em declarações à Prensa Latina, depois de intervir no debate de alto nível da Assembleia Geral, Arreaza enfatizou a defesa feita pela Venezuela ao multilateralismo e o respeito às diferenças ideológicas e de modelos socio-econômicos.

O povo dos Estados Unidos é nosso amigo, nós queremos, admiramos e respeitamos suas contribuições à cultura, ciência e outros setores, disse Arreaza, que criticou as elites que, de Washington, tentam impor sua visão ao mundo, ainda que isso implique mais guerras e sofrimento humano.

De acordo com o chanceler, a atual administração na Casa Branca, em especial sua elite supremacista e racista, ataca os próprios cidadãos norte-americanos, e como efeito colateral, impacta com suas políticas outros países, neste caso, a Venezuela.

Em relação às novas sanções dos Estados Unidos e ao anúncio de ontem sobre a incorporação da Venezuela ao veto migratório criado pelo presidente Donald Trump, Arreaza adiantou que Caracas irá a todos os fóruns internacionais que seja possível para denunciá-lo.

Em sua opinião, esta medida é infundada e só busca desviar a atenção da opinião pública norte-americana e engrossar um expediente contra a Revolução Bolivariana.

O diplomata reiterou a decisão do país sul-americano de construir o socialismo, sempre no marco do respeito a aqueles que pensam em outro modelo.

No entanto, explicou que o capitalismo destrói o mundo e põe em perigo a sobrevivência da espécie humana.

Fonte: Prensa Latina

Compartilhe: