ONU decide encerrar a missão dos capacetes azuis no Haiti em outubro

Haiti

O Conselho de Segurança da ONU decidiu nesta quinta-feira (13), por unanimidade, pelo encerramento em outubro da Missão de Estabilização no Haiti (Minustah), para dar lugar a um novo tipo de relação entre Porto Príncipe e a organização. O Brasil comanda as “forças de paz” da Minustah, que são compostas por 15 países.

Apresentada pelos Estados Unidos, que preside o órgão de 15 membros neste mês, a resolução 2350 prolonga por seis meses, de abril a outubro, o mandato dos capacetes azuis iniciado em 2004, surgindo depois a Missão para o Apoio à Justiça em Haiti (Minujusth).

A nova entidade terá como prioridades o apoio ao país caribenho em áreas como o Estado de Direito – mediante o fortalecimento das instituições -, a segurança e os direitos humanos.

O Conselho apoiou assim a proposta apresentada pelo secretário geral da ONU, António Guterres, em uma nota debatida na terça-feira.

De acordo com Guterres, ainda que os desafios nos setores da segurança e humanitário continuem, o Haiti alcançou nos últimos anos progressos políticos que permitem o fechamento da Minustah e a criação da Minujusth.

Os membros do Conselho de Segurança enfatizaram a importância de uma retirada gradual dos capacetes azuis, a preparação da polícia nacional e a atenção humanitária, a partir de situações preocupantes, como a epidemia de cólera presente desde 2010, que deixou um saldo de mais de nove mil mortos.

O embaixador boliviano nas Nações Unidas, Sacha Llorenti, reforçou a necessidade de que o apoio ao país assolado por desastres devastadores (o terremoto de 2010 e o furacão Matthew no ano passado) continue e que essa ajuda responda às prioridades e interesses haitianos.

Fonte: Prensa Latina

Compartilhe: