Oposição venezuelana abandona diálogo político com o governo na República Dominicana

Venezuela

A estratégia da violência golpista, incentivada por Donald Trump, pode voltar a ser usada pela oposição venezuelana

A auto-denominada Mesa da Unidade Democrática (MUD), aliança de oposição da Venezuela, confirmou nesta terça-feira (26) a sua recusa em continuar as reuniões políticas com o governo bolivariano na República Dominicana, cuja retomada estava agendada para quarta-feira (27). Acompanhado pelo presidente da Assembleia Nacional em desacato, Julio Borges, o deputado Luis Florido anunciou que a delegação da oposição estará ausente do diálogo político, supostamente por não existirem condições “sérias” para a reunião, a qual os representantes da oposição prometeram participar no último dia 14 de setembro.

De acordo com Florido durante a reunião, convocada pela República Dominicana e pelo ex-chefe do governo espanhol, Jorge Luis Rodríguez Zapatero, o MUD fez exigências que o Governo não teria atendido.

No entanto, a mídia local informou que os candidatos da MUD para as eleições regionais no próximo dia 15 de outubro estão no desenvolvimento normal de suas campanhas eleitorais.

Segundo especialistas, tal decisão significa um revés nos objetivos de um consenso político entre o governo e a oposição que garanta a paz definitiva na Venezuela.

Isso, eles observaram, pode ser devido ao fato de que eles já preveem uma possível derrota da oposição nas próximas eleições regionais, dada a falta de seguidores devido às suas estratégias políticas erradas baseadas na violência e no terror.

Eles também apontaram que a mudança de discurso, já comum entre os líderes da extrema-direita, pode ter sido encorajada pelo recente discurso intervencionista e guerreiro do presidente dos EUA, Donald Trump, contra a Revolução Bolivariana e seu líder Nicolás Maduro.

Diante das Nações Unidas, Trump pediu a desestabilização da Venezuela e prometeu seu apoio a um golpe na nação sul-americana, lembraram.

Portanto, os analistas alertaram sobre uma possível reativação de ações terroristas promovidas pelo MUD para tentar alcançar o poder de uma maneira inconstitucional.

Fonte: Prensa Latina

Compartilhe: