Presidenta do Conselho Mundial da Paz denuncia ameaças dos Estados Unidos contra a Coreia Popular

Luta pela paz

A presidenta do Conselho Mundial da Paz, Socorro Gomes, emitiu uma declaração apontando para a gravidade das ameaças do secretário de Estado estadunidense Rex Tillerson contra a República Popular Democrática da Coreia (RPDC). Na sexta-feira (17/3/2017) Tillerson deu uma entrevista coletiva durante visita à Coreia do Sul, com quem os EUA realizam exercícios militares anualmente, numa provocação flagrante. O secretário de Estado disse que não está descartada uma ofensiva militar contra a Coreia Popular, reiteradamente acusada da responsabilidade pelo aumento da tensão na região, apesar das provocações e ingerência dos EUA. Leia a nota de Socorro Gomes:

Contra as ameaças e provocações dos EUA na Península da Coreia!

A Presidência do Conselho Mundial da Paz rechaça as irresponsáveis ameaças de agressão dos Estados Unidos contra a República Popular Democrática da Coreia (RPDC) feitas pelo secretário de Estado Rex Tillerson, na sexta-feira (17/3), falando da tribuna de sua aliada, a Coreia do Sul.

Os EUA têm promovido há décadas uma política de ingerência e desestabilização na Península Coreana, investindo na divisão do povo coreano e nas ameaças reiteradas contra a Coreia Popular, com repetidos exercícios militares, sanções e declarações arrogantes.

O Conselho Mundial da Paz (CMP) tem reafirmado sua solidariedade ao povo coreano na luta pela reunificação pacífica da nação, pela paz e a segurança da região, o que inclui, por parte da Coreia Popular, um apelo pelo acordo de paz definitivo ainda não assinado, desde o cessar das hostilidades da guerra promovida pela potência imperialista, ainda na década de 1950.

O CMP também apoia o povo coreano na defesa da sua soberania contra a ingerência estadunidense, que se arroga o papel de polícia do mundo. Os EUA têm quase 30 mil soldados acantonados na Coreia do Sul e realizam exercícios militares com a Coreia do Sul e Japão anualmente, numa demonstração inaceitável de força. Mesmo assim, Tillerson fez ameaças de atacar a Coreia Popular.

Reafirmamos nosso apoio à solução pacífica da situação na Península da Coreana e a iniciativas diplomáticas visando à solução da questão nuclear. Demandamos a retirada das tropas estadunidenses e das suas armas nucleares da Península Corerana.

Rechaçamos com veemência declarações como a de Tillerson, representando um governo liderado por um presidente chauvinista como Donald Trump.

Socorro Gomes
Presidenta do Conselho Mundial da Paz
21 de março de 2017

Fonte: Cebrapaz 

 

Compartilhe: