Rússia denuncia: EUA busca desmontar acordo nuclear com Irã

Geopolítica

Os Estados Unidos procuram desmantelar completamente o acordo alcançado com o Irã em torno do seu programa nuclear, denunciou nesta terça-feira (10) o diretor do departamento asiático do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Zemir Kabulov.

“A administração dos EUA certamente parece tomar o curso da anulação completa do acordo alcançado pelo Irã e os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, mais a Alemanha, sobre o programa atômico de Teerã”, disse ele.

Além disso, há especulações da imprensa ocidental sobre a possível inclusão na lista de organizações terroristas, elaborada pelos Estados Unidos, da Guarda Republicana para a Defesa da Revolução Islâmica.

A este respeito, o chefe do referido grupo militar iraniano, Ali Jafari, indicou que, se assim for, Teerã tratará os militares dos EUA da mesma maneira com que trata o movimento terrorista do Estado islâmico (EI).

O Irã permitiu que a Agência Internacional de Energia Atômica revisasse suas instalações para deixar de duvidar da natureza obviamente pacífica de seu desenvolvimento nuclear.

No entanto, analistas acreditam que ao cancelar o acordo com o país persa, este poderia buscar formas de acessar armas de destruição em massa para reforçar sua defesa, pois o rompimento do acordo seria claramente visto como uma ameça a longo prazo contra a República Islâmica do Irã.

Desde a sua chegada à Casa Branca, o presidente republicano Donald Trump colocou o Irã no centro de seus ataques verbais, sem encontrar um pretexto que possa justificar uma ação violenta contra essa nação por Washington.

A Casa Branca retomou a antiga retórica de colocar Teerã como patrocinador do terrorismo no mundo.

Mas o governo sírio denuncia em todo momento que está sendo atacado por grupos armados, armados e financiados pelo exterior, incluindo o Estado Islâmico, que parece ter apoio do Pentágono nos combates na província síria de Deir-Ezzor.

Rússia, Turquia e Irã, embora com diferenças em alguns aspectos sobre como resolver o conflito sírio, concordaram em ações conjuntas, como o patrocínio das negociações interestaduais em Astana e a trégua no país levantino.

Resistência com Prensa Latina

Compartilhe: