Venezuela e Democracia

Opinião

Os órgãos de comunicação social continuam, na sua esmagadora maioria e com honrosas exceções como a do “Avante!”, empenhados na tarefa que lhes foi atribuída pelo dono: não ter limites na manipulação, distorção e mentira sobre a realidade venezuelana de forma a apresentar como democrática uma ação golpista e de ingerência contra a Venezuela e as suas instituições.

Por Ângelo Alves

A coisa vai intensificar-se até dia 30, data marcada para as eleições para a Assembleia Constituinte, já convocadas. A rejeição, pela oposição, de ir a votos, é apresentada como uma forma de resistência a um presidente que “está amarrado ao poder”. As ações de boicote econômico, de violência e de perversão do papel de um órgão de soberania, são apresentadas como luta pela democracia. Tudo o que a oposição fizer para boicotar uma solução democrática para a situação na Venezuela será apresentado como democrático, e tudo o que o legítimo governo fizer para defender a democracia e a soberania venezuelanas será apresentado como repressão, ação antidemocrática e ditatorial.

O seu a seu dono… Não nos espanta que assim seja. Os cemitérios ou valas comuns deste mundo estão pejados de cadáveres das lutas pela “democracia” do imperialismo. E vale mesmo tudo. Apesar de não conseguirem esconder o autêntico flop (fiasco) que foi a farsa provocatória apelidada de “plebiscito”, a comunicação social dominante apressa-se a gerir os danos e a apresentar os resultados como uma reafirmação do apoio a Capriles. Pelo meio oculta-se que as atas dessa farsa eleitoral foram queimadas e escondem-se os testemunhos, inclusive em vídeo, que demonstram a encenação com “eleitores” a “votarem” várias vezes em várias “urnas” de voto. Mas sobre essa “democracia” nem uma palavra vemos nos nossos jornais. Estar ao lado da Venezuela Bolivariana é lutar pela democracia, esta é a verdade, por mais fel antidemocrático que a comunicação social e alguns comentaristas vomitem todos os santos dias.

Fonte: Avante!

Compartilhe: