Venezuela mobiliza união cívico-militar para defender soberania e independência

Revolução Bolivariana

Neste sábado (26), o povo da Venezuela se mobilizou em todas as regiões para defender sua soberania e autodeterminação frente às agressões dos Estados Unidos que pretendem destruuir a estabilidade do país.

Com elevado nível patriótico em defesa da dignidade e da soberania, o povo venezuelano se integrou ao Exercício Soberania Bolivariana 2017, realizado em todo o país para fortalecer a defesa integral da nação diante das ameaças feitas pelo governo dos Estados Unidos.

De forma simultânea o exercício começou em todos os estados do país, sob o comando do ministro da Defesa, Vladimir Padrino López, depois de uma manobra militar com 200 efetivos da Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) realizada no bairro de Macarao, em Caracas.

união cívico-militar 3

Em transmissão pela Venezuelana de Televisão, Padrino López assinalou que estes exercícios têm como objetivo dizer ao mundo que a Venezuela,em sua vocação de paz e diálogo, coenta “com uma Força Armada e um povo dispostos a dar tudo de si” para defender a pátria.

Caracas

Em Caracas, os exercícios começaram com o deslocamento do Comitê de Resistência Local formado por 600 efetivos motorizados da Polícia Nacional Bolivariana (PNB) e 600 milicianos na avenida Bolívar, no centro da cidade.

A atividade foi dirigida pelo ministro do Interior, Justiça e Paz, Néstor Reverol, o qual informou sobre a participação de 146 mil efetivos policiais nacionais e estaduais, junto com os corpos de investigação e bombeiros.

No bairro 23 de Janeiro se fez uma simulação de evacuação preventiva, diante de uma eventual situação extraordinária resultante de uma ameaça militar estrangeira.

O chefe da Região Estratégica de Defesa Integral Capital (REDI), Alexis Ramírez, indicou que na simulação se avaliou o desempenho do Órgão de Direção de Defesa Integral para a defesa do povo.

Nas planícies

O povo de Guárico se somou às atividades estratégicas em um deslocamento cívico-militar no Batalhão Coropoima com a participação do Comandante da Zona Operacional de Defesa Integral (ZODI), Hernán Gil Barrios, que destacou o caráter cívico e a capacidade organizativa do Poder Popular.

Em Cojedes, efetivos da FANB, da Milícia Nacional Bolivariana e comunidades efetuaram uma série de atividades de planificação e condução no forte militar Los Caribes, situado no município de El Pao.

Em Guasdualito, município José Antonio Páez do estado Apure, se avaliou o aparato operacional que possui a instância para defender a pátria.

Andes e Ocidente

Os habitantes de Mérida participaram em um exercício teórico e prático de planificação e organização de todos os órgãos de direção de defesa integral encabeçados pelo comandante da ZODI 22-Mérida, César Médez López.

Igualmente, para demonstrar o alto sentido patriótico e leal aos princípios de soberania e liberdade, o povo trujilano em união cívico-militar marchou desde o setor La Morita no município de Trujillo, até El Prado.

Em Falcón, trabalhadores, movimentos sociais e instâncias do poder popular protagonizaram os exercícios de soberania militar. A governadora Stella Lugo exigiu o respeito à soberania e à vontade do povo venezuelano.

Por sua parte, o governador de Zulia, Francisco Arias Cárdenas, destacou a disposição do povo venezuelano para defender a pátria e a soberania nos exercícios militares que se realizaram neste sábado.

Regiões Oriente e Sul

Em Anzoátegui, se realizou uma simulação em que 57.000 civis e militares recuperaram o Porto de Guanta ante uma eventual ação bélica de um exército de ocupação.

Em Nueva Esparta mais de 5.000 pessoas participaram em uma mobilização que partiu desde o Porto Internacional de El Guamache, até o assentamento camponês Alto Orinoco, no município de Tubores.

Em Ciudad Bolívar o povo participou dos exercícios militares junto com o governador Francisco Rangel Gómez que ressaltou a importância da participação popular nos exercícios de defesa integral da nação.

União cívico-militar 4

Manifestações

Em Caracas, com a palavra de ordem “Gringo, go home, não se intervém na Venezuela”, o povo bolivariano se concentrou na Praça A Resistência para marchar rumo ao Passeio dos Próceres, em apoio aos exercícios militares convocados pelo presidente da República, Nicolás Maduro.

A atividade, que contou com a participação de dirigentes socialistas, do povo organizado e da Força Armada Nacional Bolivariana (FANB), tem como objetivo fortalecer as capacidades estratégicas e operacionais na união cívico-militar para a defesa da soberania, que foi posta em cheque pelos ataques financeiros e ameaças militares da administração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Esta mobilização de alcance nacional se realiza um dia depois da assinatura da ordem executiva dos EUA que busca atacar a economia venezuelana, ao proibir a transação de bônus venezuelanos e de sua empresa estatal petroleira Pdvsa.

Em Caracas, o povo foi ao Pátio de Honra da Universidade Militar Bolivariana, onde o chefe do governo da Capital, Antonio Benavides Torres, ressaltou a participação popular em diferentes atividades militares.

união cíviuco-militar 5

Mobilizações populares

O general de divisão Juan Carlos Du Boulay Perozo, comandante da Região Estratégica de Defesa Integral Central, informou que na atividade participaram 15 mil pessoas em defesa da soberania nacional.

“Juntos, o poder popular com os efetivos da Força Armada Nacional, treinados com formação patriótica, somos um exército invencível. Não aceitamos ações de ingerência de nenhum governo e menos aindados Estados Unidos”, disse Du Boulay.

Em Zulia se mobilizaram desde os terrenos situados nas proximidades do Hospital Geral do Sul, em Maracaibo, até o terminal terrestre de São Francisco.

O governador do estado de Zulia, Francisco Arias Cárdenas, destacou a disposição do povo venezuelano para defender a pátria venezulana e o direito ao exercício da soberania.

“Todos juntos estamos iluminados por Chávez para deter todas as agressões, todos os intentos de agressão à pátria. (…) Vamos estar defendendo em Zulia a ponte sobre o lago, a indústria petroleira, a dignidade de nossos filhos e nossas mulheres. Juntos, nós, os venezolanos, somos invencíveis e na medida em que resistamos, muitos outros povos vão se somando”, exclamou.

No estado de Trujillo o povo se deslocou de vários municípios. O governador do estado, Henry Rangel Silva, destacou a capacidade e o nível de treinamento da Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) para enfrentar qualquer intervenção estrangeira.

Resistência, com Agência Venezuelana de Notícias

Compartilhe: