Xi: China ama a paz, mas nunca fará concessões em soberania

China

O exército do povo deve defender firmemente a liderança do PCC e o sistema socialista

A China nunca fará concessões em seus interesses de soberania, segurança ou desenvolvimento, disse nesta terça-feira (1º/8) o presidente Xi Jinping em uma celebração pelo Dia do Exército.

Xi, também secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista da China (PCC) e presidente da Comissão Militar Central, fez as observações na cerimônia para celebrar o 90º aniversário de fundação do Exército de Libertação Popular, que cai em 1º de agosto.

“O povo chinês ama a paz. Nós nunca buscaremos agressão ou expansão, mas temos a confiança para derrotar todas as invasões. Nunca permitiremos que nenhuma pessoa, organização ou partido político desintegre qualquer parte do território chinês em qualquer hora, de qualquer forma”, disse Xi.

“Ninguém deve esperar que nós engoliremos o fruto amargo que é prejudicial para nossos interesses de soberania, segurança ou desenvolvimento.”

O exército do povo deve defender firmemente a liderança do PCC e o sistema socialista e proteger os interesses de soberania, segurança e desenvolvimento nacionais, assim como paz regional e mundial, declarou.

Ele pediu ao ELP que se concentre em preparação de guerra para criar uma força poderosa e de elite que esteja sempre “pronta para a luta, com capacidade de combate e indubitável vocação para vencer”.

Há diversos meios e escolhas para defender a paz e a segurança e prevenir a guerra, mas os meios militares devem permanecer a garantia final, disse.

A vida do exército do povo é sua habilidade de combate, afirmou, pedindo que o ELP fortaleça sua consciência de se preparar para quaisquer eventualidades.

“Todos os pensamentos devem ser colocados no combate e todo o trabalho deve se concentrar em combater, de forma que o exército possa se mobilizar, marchar e vencer a qualquer hora que Partido e o povo necessitarem.”

O nível do treinamento militar deve ser elevado para os padrões de combate real, disse.

Fonte: Agência Xinhua

Compartilhe: