Eleito o novo Comitê Central do Partido Comunista da China

19º Congresso do PCCh

O Partido Comunista da China (PCCh) elegeu nesta terça-feira (24) o novo Comitê Central, que liderará o Partido nos próximos cinco anos.

Eleito por 2.336 delegados na sessão de encerramento do 19º Congresso Nacional do PCCh, o novo Comitê Central inclui 204 membros e 172 suplentes.

“O congresso elege um novo Comitê Central do Partido, concluindo a sucessão organizacional”, disse Xi Jinping ao discursar na sessão de encerramento no Grande Palácio do Povo.

Xi, de 64 anos, foi eleito para o novo Comitê Central. Era secretário-geral do 18º Comitê Central do PCC.
Também foram eleitos Wang Huning, Liu Qibao, Xu Qiliang, Sun Chunlan, Li Keqiang, Wang Yang, Zhang Chunxian, Zhao Leji, Hu Chunhua, Li Zhanshu e Han Zheng.

Li Keqiang, de 62 anos, era membro do Comitê Permanente do Birô Político do 18º Comitê Central do PCCh. Todos os outros eram membros do Birô Político do 18º Comitê Central do PCCh.

O 19º Comitê Central do PCCh elegerá o Birô Político, o Comitê Permanente do Birô Político e o secretário-geral em sua primeira sessão plenária marcada para a quarta-feira (25).

bandeiras comunistas China

Segundo o Estatuto do Partido, a mais alta instância dirigente do PCCh é o Congresso Nacional e o Comitê Central que elege. Todas as organizações constitutivas e todos os membros do Partido são subordinados ao Congresso Nacional e ao Comitê Central. O Congresso Nacional do PCC é realizado a cada cinco anos.

Mudanças estatutárias

O 19º congresso do Partido Comunista da China (PCC) decidiu incluir no Estatuto o pensamento militar de Xi Jinping e a “direção absoluta do Partido” sobre as forças armadas.

Segundo a resolução, o PCCh deve exercer a direção absoluta sobre o Exército Popular de Libertação e as outras forças armadas populares e implementar o pensamento de Xi para seu fortalecimento militar.

O desenvolvimento do EPL será reforçado para aumentar sua lealdade política, fortalecido pela reforma e tecnologia e por sua atuação conforme a lei.

O PCCh deve construir forças do povo que obedeçam ao comando do Partido, possam lutar e vencer e manter a excelente conduta para garantir que o EPL cumpra suas missões e tarefas na nova era.

A inclusão desses conteúdos no Estatuto do Partido “ajudará a defender a direção absoluta do Partido sobre as forças armadas populares e modernizar a defesa nacional e militar”, diz a resolução.

Além disso, a emenda ao Estatuto do PCCh também esclareceu que o presidente da Comissão Militar Central (CMC) assume a responsabilidade integral pelo trabalho da comissão e que a CMC é responsável pelos trabalhos partidário e político nas forças armadas.
Isto corresponde ao requisito realista para assegurar que a CMC cumpra sua responsabilidade pela autossupervisão e autogovernança do Partido após a reforma militar, assinala a resolução.

Fachada do Grande Palácio do Povo, Pequim

Fachada do Grande Palácio do Povo, Pequim

Luta contra a corrupção

O Partido Comunista da China declarou em seu Estatuto revisado que o Partido deve “realizar esforços abrangentes” para garantir que “a luta contra a corrupção continue”, segundo uma resolução aprovada na terça-feira pelo 19º Congresso Nacional do Partido.

Desde o 18º Congresso Nacional, o Partido obteve progresso estável na realização da governança integral e rigorosa do partido, tomou diversas medidas para fortalecer sua construção, ganhou experiências abundantes e bem-sucedidas e obteve resultados significativos, que devem ser incluídos no Estatuto do Partido de forma oportuna, para que se tornem a vontade comum e norma de todo o partido.

O Partido tem que realizar firmemente a autossupervisão e praticar estritamente a autogovernança em todos os aspectos, diz o Estatuto revisado.

Na sessão de abertura do 19º Congresso em 18 de outubro, Xi Jinping disse que a corrupção é “a maior ameaça” que o Partido enfrenta.
O Partido trabalhará para a adoção de legislação nacional anticorrupção e criar uma plataforma de denúncia da corrupção que cubra tanto as comissões de inspeção disciplinar como as agências de supervisão, disse o dirigente.

As autoridades disciplinares investigaram 440 funcionários de nível provincial ou superior por corrupção durante os últimos cinco anos, incluindo 43 membros e suplentes do Comitê Central do PCCh e 9 membros da Comissão Central de Inspeção Disciplinar (CCID), informou Yang Xiaodu, vice-secretário da CCID em uma coletiva de imprensa durante a realizaçao do 19º Congresso Nacional do PCCh.

Redação do Resistência com informações da Xinhua

Compartilhe: