PCdoB manifesta seu repúdio ao arauto do golpe, Rex Tillerson, e reafirma defesa do governo de Nicolás Maduro

Nota

A Secretaria de Política e Relações Internacionais do PCdoB divulgou, nesta segunda-feira (5), uma nota onde aborda as recentes ameaças do governo Donald Trump contra a Venezuela, verbalizadas por Rex Tillerson. Leia abaixo.

PCdoB manifesta seu repúdio ao arauto do golpe, Rex Tillerson, e reafirma defesa do governo de Nicolás Maduro

O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) manifesta seu veemente repúdio às declarações do Secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, que defendeu, no dia 1º de fevereiro, a possibilidade de um golpe militar contra o governo constitucional de Nicolás Maduro.

A afrontosa declaração foi feita apenas um dia depois que o governo e a oposição da Venezuela assinaram uma ata onde reconhecem avanços importantes na mesa de diálogo realizada na República Dominicana.

Fica claro, portanto, que o respeito à soberania dos povos, bem como a defesa da paz e da democracia, não faz parte da estratégia estadunidense para a América Latina. Basta a longa história de golpes e intervenções dos EUA em nossa região para desacreditar totalmente este país como conselheiro sobre legalidade democrática e direitos humanos.

É coerente com esta trajetória imperialista que o Governo de Donald Trump repete a velha tática: intensificação da ingerência externa, com o uso de sanções e sabotagens, para através da instabilidade causada por estas ações impor governantes submissos aos seus interesses.

No entanto, a Venezuela resiste heroicamente, buscando no povo energia e inspiração para aprofundar a democracia popular e vencer as dificuldades impostas pela guerra econômica.

O PCdoB reafirma seu apoio inabalável à Revolução Bolivariana, ao governo da Venezuela e ao presidente Nicolás Maduro, que acaba de ter seu nome referendado pelo Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) como candidato à reeleição nas eleições presidenciais que se realizarão neste primeiro quadrimestre. Consideramos que a vitória de Nicolás Maduro será de grande relevância para impulsionar e fortalecer a luta pela soberania, pela democracia e pela justiça social na América Latina e no mundo.

José Reinaldo Carvalho

Secretaria de Política e Relações Internacionais

São Paulo, 5 de fevereiro de 2018

Compartilhe: